SOBRE NÓS

A ABRIGO

A “ABRIGO – Associação Portuguesa de Apoio à Criança” é uma IPSS, com Utilidade Pública, que tem como objectivo principal a criação e manutenção de um Centro de Acolhimento Temporário para Crianças em Risco.

A par deste projecto, a ABRIGO Famílias tem em funcionamento, desde Maio de 2015, a resposta social C.A.F.A.P. (Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental), nos concelhos de Montijo e Alcochete, com o objectivo de intervir com famílias com Crianças e jovens em situação de risco e/ou perigo, sempre em constante articulação estreita com outras entidades com competência em matéria de infância e juventude no sentido de proteger e potenciar o bem-estar e fortalecimento das famílias com Crianças e jovens em situação de risco e/ou perigo.

Igualmente, integrado no projecto do Centro de Acolhimento Temporário, está em funcionamento o projecto, ABRIGO Investigação, uma Unidade de Investigação em Crianças em Risco, que pretende promover a investigação científica no âmbito das Crianças em situação de risco em Portugal e reunir toda a bibliografia já existente e em produção sobre esta área, actualmente na Biblioteca Municipal de Alcochete.



ABRIGO INVESTIGAÇÃO

Primeiro centro de investigação em crianças em situação de risco a nível nacional.






ABRIGO FAMÍLIAS

Um serviço de apoio às famílias com crianças e jovens em situação de perigo ou risco social.





Conscientes da extrema necessidade de projectos desta índole para enfrentar o flagelo que assola as Crianças Portuguesas, esta associação pretende reunir esforços do mais amplo cariz da sociedade Portuguesa com a finalidade de construir um dos maiores centros de acolhimento temporário para Crianças em risco do nosso país, tendo prevista a segunda Unidade de Habilitação para Crianças em risco, sendo a única existente a da instituição “Refúgio Aboim Ascensão”, sita em Faro.

É mesmo esta instituição, o “Refúgio Aboim Ascensão” – “Emergência Infantil”, o modelo que a “Abrigo” escolheu seguir contando, nesta altura, com toda a colaboração da mesma e nomeadamente do seu director, Dr. Luís Villas-Boas.

De notar também que a “Abrigo” é já membro efectivo da “Emergência Infantil”, modelo de acolhimento temporário criado no seio do Refúgio Aboim Ascensão, que tem como pilar fundamental o acolhimento precoce, científico e seguro de crianças em risco, em parceria com as diversas entidades com actuação neste âmbito, nomeadamente, Segurança Social, Saúde, Justiça e Educação.

Para além das mais diversas instituições que aceitaram colaborar como sócias fundadoras da ABRIGO, das quais se destacam o Comité Português para a UNICEF, o Instituto de Apoio à Criança e a sua Presidente, Dra. Manuela Ramalho Eanes, e a APAV – Associação Portuguesa de Apoio à vítima, contamos também com o apoio da Câmara Municipal do Montijo, que cedeu já o terreno para a construção do Centro de Acolhimento Temporário, bem como de outras Câmaras Municipais da Área Metropolitana de Lisboa, área geográfica de influência privilegiada do projecto, para além da própria Junta Metropolitana de Lisboa e de algumas personalidades, desde médicos pediatras e psicólogos a procuradores da republica e juízes, das quais se destaca o Médico Pedopsiquiatra Dr. Pedro Stretch, o qual prestou um contributo fundamental na concepção do projecto do futuro Centro de Acolhimento Temporário e se disponibilizou para colaborar com a associação no seu desenvolvimento futuro.

Apadrinhamentos

Destaca-se ainda que, nesta altura, a associação e o projecto que lhe está inerente, conta com o apadrinhamento do ex-futebolista Paulo Futre, do guarda-redes Ricardo Pereira e da piloto de todo o terreno, Elisabete Jacinto, três ilustres Montijenses.


Para além destas, outras personalidades de relevo no panorama nacional juntaram-se já à ABRIGO, manifestando publicamente o seu apoio, como por exemplo, o Presidente da Comissão Europeia, Dr. Durão Barroso, a Dra. Maria Cavaco Silva, o Procurador-Geral da República, Dr. Pinto Monteiro, O ex-Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa ou a Dra. Maria Barroso Soares, Presidente da Emergência Infantil.

Um país que não olha, não cuida e não trata as suas Crianças com a dignidade e o carinho que merecem é um país sem futuro. Por tal, contribuir para um futuro melhor das nossas Crianças é contribuir para um melhor futuro para o nosso país.